Centro de Referência da Assistência Social (CRAS):
O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) é uma unidade pública estatal descentralizada da Política Nacional de Assistência Social (PNAS). O CRAS atua como a principal porta de entrada do Sistema Único de Assistência Social (Suas), dada sua capilaridade nos territórios e é responsável pela organização e oferta de serviços da Proteção Social Básica nas áreas de vulnerabilidade e risco social.

Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS):
O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) é uma unidade pública da política de Assistência Social onde são atendidas famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados.
Serviços ofertados: A unidade deve, obrigatoriamente, ofertar o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), podendo ofertar outros serviços, como Abordagem Social e Serviço para Pessoas com Deficiência, Idosas e suas famílias. É unidade de oferta ainda do serviço de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto.

Proteção Social Básica
Serviços ofertados nos 27 Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) e 15 entidades conveniadas:
Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF)
Trabalho social com famílias, de caráter continuado, com o objetivo de fortalecer a função de proteção das famílias, prevenindo a ruptura de laços, promovendo o acesso e usufruto de direitos e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.

Proteção Social Especial
Serviços ofertados nos 6 Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS)
Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos – PAEFI
Serviço de apoio, orientação e acompanhamento a famílias e/ou indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos.

Cadastro Único:
O Cadastro Único é um instrumento de informações para identificar as condições sociais e econômicas de famílias com baixa renda no país. É coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), devendo ser obrigatoriamente utilizado para seleção de beneficiários de programas sociais do Governo Federal, como o Bolsa Família.
O Governo Federal, por meio de um sistema informatizado, consolida os dados coletados no Cadastro Único. Desse modo, o poder público pode estabelecer e executar políticas específicas, que contribuem para a realização da redução das vulnerabilidades sociais a que essas famílias estão sujeitas. Atualmente são mais de 21 milhões de famílias inclusas no Cadastro Único.
O Programa oferece às famílias diversos benefícios como o Bolsa Família, a Tarifa Social de Energia Elétrica, o Telefone Popular, Isenção de pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos, inserção no ProJovem Adolescente, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), Programa Brasil Carinhoso, Carteira do Idoso, Programa Minha Casa Minha Vida e outros Programas Habitacionais do Ministério das Cidades, Passe Livre para pessoas com deficiência, e Carta Social.

Cadastro Único Online
Implantação do Cadastro Único Online nas unidades de atendimento da Assistência Social de Fortaleza com o intuito de facilitar e reduzir o tempo de atendimento à População que busca inserção em programas sociais. Com o procedimento completamente online, a manutenção dos dados é realizada diretamente na base nacional, garantindo a unicidade e uma coleta de dados mais segura e consistente. Além disso, as unidades adquirem uma maior capacidade de atendimento diária. O tempo de atendimento à população foi reduzido pela metade e o agendamento foi extinto. Hoje contamos com 21 unidades atendendo com o Cadastro Online, incluindo os Núcleos das Regionais, Habitafor e Secretaria de Justiça; CRAS; e Vapt Vupt Messejana.
Para garantir a implantação do atendimento, a Setra atualizou e ampliou o parque tecnológico das unidades, bem como a reestruturação da rede de dados e o aumento do link de internet, garantindo a qualidade do serviço.

Benefícios Socioassistenciais:

Benefício de Prestação Continuada (BPC)
Garantia, através da LOAS, de 1 (um) salário-mínimo de benefício mensal à pessoa com deficiência e ao idoso que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção ou de tê-la provida por sua família.

Benefícios Eventuais
Os Benefícios Eventuais no âmbito da Política de Assistência Social configuram-se como direitos sociais instituídos legalmente. Visam o atendimento das necessidades humanas básicas e devem ser integrados aos demais serviços, programas, projetos e benefícios de assistência social no município, contribuindo dessa forma, com o fortalecimento das potencialidades de indivíduos e familiares. Podem ser:

Natalidade – para atender preferencialmente:
1. Necessidades do bebê que vai nascer;
2. Apoio à mãe nos casos em que o bebê nasce morto ou morre logo após o nascimento;
3. Apoio à família no caso de morte da mãe.

Funeral – para atender preferencialmente:
1. Despesas de urna funerária, velório e sepultamento;
2. Necessidades urgentes da família advindas da morte de um de seus provedores ou membros.

Bolsa Família:
O Programa Bolsa Família (PBF) é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o País. O Bolsa Família integra o Plano Brasil Sem Miséria (BSM), que tem como foco de atuação os 16 milhões de brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 70 mensais, e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos.
O programa possui três eixos principais: a transferência de renda, condicionalidades e ações e programas complementares. A transferência de renda promove o alívio imediato da pobreza. As condicionalidades reforçam o acesso a direitos sociais básicos nas áreas de educação, saúde e assistência social. Já as ações e programas complementares objetivam o desenvolvimento das famílias, de modo que os beneficiários consigam superar a situação de vulnerabilidade. A gestão do Bolsa Família é descentralizada e compartilhada entre a União, estados e municípios.
Para receber o benefício, a família deve estar inserida no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único). A seleção daqueles que serão beneficiados leva em consideração a renda mensal per capita da família, o número de crianças e adolescentes até 17 anos e a existência de gestantes e nutrizes.